RADIOWEB ZUMBI DOS PALMARES

sábado, fevereiro 04, 2012

Atores negros de "Aruanda" ficaram invisíveis na cinematografia brasileira

Quem eram as atrizes anônimas da comunidade que
 atuaram no filme de Linduarte? (Fotos:  Rucker Vieira)


 Assistindo mais uma vez o filme "Aruanda" de Linduarte Noronha fiquei decepcionado com uma coisa: ele não deu o crédito a NENHUM do atores do filme que o consagrou como preceptor do Cinema Novo.
Para uma obra que se propõe referência do chamado "cinema antropológico", omitir o nome do elenco foi uma falha grotesca dos produtores/realizadores de "Aruanda". Os atores negros da comunidade quilombola do Talhado, na região de Santa Luzia, recrutados por Noronha e Vladimir Carvalho permaneceram invisíveis para a cinematografia brasileira até hoje.
Cinema Novo em xeque: atores de Aruanda ficaram invisíveis
Eu encontrei também no YouTube, um documentário de Manfredo Caldas e Walter Carvalho. Ali se percebe claramente que a Paraíba perdeu uma oportunidade histórica de criar uma fantástica escola de cinema. Provavelmente, a instalação da Ditadura Militar, a partir de 64, contribuiu decisivamente para que isso não tivesse ocorrido. 
O fato é que, com o estouro de "Aruanda" a UFPB deveria ter criado no DECOM uma habilitação em Cinema mesmo antes de criar o curso de Jornalismo. Hoje a Paraíba ainda mantém um esforço interessante na área do audiovisual, tanto na UFPB, quanto na UEPB, mas nada que seja digno daquilo que poderia produzir uma escola superior de cinema.
Cursos de graduação em  Cinema, ou Cinema e Audiovisual, existem nas principais universidades brasileiras. Os cursos pioneiros no Brasil são os da Escola de Comunicações e Artes da USP, da Universidade de Brasília e da Universidade Federal Fluminense, todos eles surgidos anos 60.
Nas últimas duas décadas, cursos de Cinema têm proliferado pelo país. Universidades como UNICAMP, UFSCAR (São Carlos), Universidade Católica de Pernambuco, UFSC, UFMG, UFPE, Universidade Tuiuti do Paraná, PUC/RGS; SENAC/SP e Anhembi-Morumbi, oferecem formação em Cinema em nível de graduação.

Manifesto Popular pela Autonomia da UEPB