RADIOWEB ZUMBI DOS PALMARES

quinta-feira, julho 13, 2017

elejo 13 07 2017

 



O jornalista Dalmo Oliveira comenta decisão do juiz Moro em condenar o ex-presidente Lula a 9 anos e seis meses de prisão.

domingo, julho 02, 2017

dalmo elejo stf greve

 



O jornalista comenta últimas decisões do STF e a greve geral de 30 de junho.

segunda-feira, abril 10, 2017

Luzenira vence diretório municipal do PT com apoio de Marcos Henriques

Petista de João Pessoa votaram no Lyceu | Fotos: arquivo do PT no Facebook


por Dalmo Oliveira - O PT de João Pessoa será comandado pela primeira vez por uma mulher, a sindicalista Luzenira Alves. Ela obteve 55% dos votos na votação do PED que ocorreu neste domingo, 9, no Lyceu Paraibano, com 491 votos. Josenilton Feitosa, candidato do grupo de oposição Muda PT, obteve 375 votos. O DIARIOPB traz uma cobertura especial com os repórteres Dalmo Oliveira, João Rafael e Sérgio Ricardo.


quinta-feira, abril 06, 2017

PT paraibano define novas direções municipais neste domingo


Feitosa e Luzenira: O PT vai mudar
O Partido dos Trabalhadores (PT) começa, no próximo domingo, 9, a renovar suas direções municipais com a realização do Processo Eleitoral Direto (PED). Internamente, o partido tenta realizar uma espécie de limpeza em sua estrutura de governança com o surgimento  do movimento Muda PT, que agrega diversas forças e correntes internas unificadas num programa comum mais à esquerda.


Em João Pessoa (PB), a votação do processo eleitoral interno do PT ocorrerá no Lyceu Paraibano, com urnas funcionando a partir das 9 horas. Para o Processo de Eleições Diretas (PED) 2017, todos os filiados e filiadas há mais de 12 meses poderão votar, uma vez que a direção nacional do partido determinou anistia total para quem se encontrava inadimplente com a contribuição partidária.

Para o Diretório Municipal da capital paraibana, a disputa para a presidência do PT está polarizada em duas candidaturas que representam grupos antagônicos que disputam o domínio político da legenda: representando o segmento que está na situação, foi lançado o nome da sindicalista Luzenira Linhares Alves, que defende as teses e posturas do agrupamento Construindo um Novo Brasil (CNB).

O candidato da oposição, que representa o movimento Muda PT, é o historiador e também sindicalista Josenilton Feitosa da Silva. Fundador do partido na cidade, ex-militante estudantil e profundo conhecedor da história do partido, Feitosa tem o apoio do deputado federal Luiz Couto e dos estaduais Frei Anastácio e Anísio Maia, além da atual vice-presidenta estadual da legenda, Giucélia Figueiredo, entre outras lideranças do partido.

Linhares, por sua vez, é apoiada pelo vereador Marcos Henriques e por setores sindicalistas capitaneados pela CUT-PB. Ela tem como bandeira de luta o ativismo feminista e recebe apoio de figuras de projeção nacional do partido, a exemplo do ex-deputado Rodrigo Soares.

Novo PT
Marenilson
Está em jogo, na disputa do PED esse ano, muito mais que a hegemonia dos diretórios municipais e estadual. A depender dos resultados das urnas, os filiados do PT terão condições reais (ou não) de promover mudanças significativas nos rumos da legenda, que sofreu derrotas eleitorais consideráveis na Paraíba e teve uma Presidenta de República golpeada recentemente por setores mais conservadores da política brasileira.

O movimento Muda PT, cujo candidato a presidente para o diretório estadual é o agrônomo Marenilson Batista, pretende interromper a hegemonia que o CNB mantém no partido desde os primórdios do partido, quando era conhecida apenas por “Articulação”. Incorporando propostas e teses inovadoras, o Muda PT pretende inserir na direção do partido um modelo mais radicalizado do que a postura conservadora e conciliatória preferida pelo CNB.

Apoio aos movimentos grevistas e sociais, mais transparência e horizontalidade na administração do partido, fim das alianças com partidos da Centro-Direita e fortalecimento da base partidária e dos setoriais temáticos são alguns pontos que estão nas cartas-programa e teses do agrupamento Muda PT, defendidas, intransigentemente, por Feitosa e Marenilson.

Último PED
O PED é um processo feito de etapas, que tem como outra finalidade tirar delegados regionais que participarão e votarão decisivamente no Congresso Nacional do PT, que deve ocorrer no mês de agosto em São Paulo (SP). Correntes internas como Avante, Articulação de Esquerda, Esquerda Popular Socialista, Mensagem ao Partido, Militância Socialista e PT Orgânico compõem o Muda PT na Paraíba e também apoiam Josenilton Feitosa para o diretório de João Pessoa.

O bloco Muda PT pretende mobilizar cerca de 400 delegados ao próximo congresso estadual da legenda, que ocorrerá em João Pessoa entre 5 e 7 de maio. A meta principal do bloco é reconectar a direção partidária com a base do partido em todas as instâncias. Segundo Feitosa, a atual gestão estadual, sob a coordenação do professor universitário Charlinton Machado, incorreu em erros graves na condução do partido, como falta de transparência e centralização excessiva por alguns membros do diretório estadual. Ligado à CNB, Machado amargou uma derrota sofrível nas urnas, ano passado, ao se candidatar a prefeito da capital paraibana. Para sua sucessão, Charliton está apoiando o atual secretário de organização do partido, Jacson Macedo.

O Muda PT pretende ganhar o PED defendendo ainda mudanças substantivas no controle ético de filiados, especialmente daqueles que possuam mandatos eletivos e é totalmente refratário a qualquer tipo de composição política com partidos conservadores que contribuíram para o impeachment da Presidenta Dilma.

O agrupamento de tendências deverá reforçar a ideia de criação de mecanismos de controle social interna no partido para evitar que dirigentes tomem decisões importantes isoladamente sem o aval da base de filiados. O Muda PT apóia a indicação do senador Lindbergh Farias à presidência do Diretório Nacional.


Caso saia vencedor, o movimento Muda PT promete extinguir o PED. O modelo é considerado por diversos críticos da esquerda petista como um sistema eleitoral que favorece a corrupção interna, a compra de votos, coação de filiados e diversos outros vícios eleitoreiros importados das eleições convencionais. O PED teria sido desenhado ainda para perpetuar no poder as correntes internas do partido que possuam mais cargos eletivos e diretorianos nas diversas instâncias do partido. Segundo estudiosos do processo, o PED dificulta a participação efetiva dos filiados, cria castas de subordinados e dificulta o verdadeiro exercício democrático dentro do PT.

domingo, janeiro 29, 2017

BEBE DE NATERCIO NA ACADEMIA DE CORDEL





Bebé de Natercio e amigos deram um show para poucos na posse da nova diretoria da Academia de Cordel do Vale do Paraíba.